domingo, maio 22, 2011

Desentulhar a casa

Vendo a quantidade de COISAS em cima da minha mesinha de cabeceira (uns 8 produtos para os pés, descongestionante nasal, caixas vazias, grampos, esmaltes, massageadores e TRÊS fontes de luz diferentes, penso seriamente que minimalismo é difícil pacas, jogar coisas fora é muito complicado, arrumar idem. Em algum momento, sei que preciso jogar coisas fora, dar e vender itens que estão sobrando, encaixotar o que serve e eu não uso e detonar sem dó o que não serve mais, tipo os 10kg de revistas velhas empilhadas no cantinho do quarto.

Marido também é um acumulador, o que torna este trabalho um pouco mais complicado, mas vamo que vamo. Essa talvez seja a parte mais difícil, porque tem a ver com hábitos antigos e com uma certa necessidade de conforto (passei quase 10 anos morando sozinha, estar rodeada de objetos traz uma atmosfera, AHAM, familiar, segura, humana... certo?

Periodicamente, faço umas limpas no armário e doo coisas para ongs e para a igreja aqui do lado. Mas agora não é só isso. Agora é preciso realmente jogar revistas velhas fora e fazer A GRANDE FOGUEIRA com os diários de quando eu tinha 10 a 14 anos. Porque, né? Se NINGUÉM VAI LER, serve pra que?

Pra nada. Tá na hora de tomar coragem e encarar os quilos e quilos de entulho da casa. DESEJEM-ME SORTE.

6 comentários:

Marina Oliveira disse...

Lia, eu era de guardar tralha até o dia em que *fui forçada* a esvaziar todo o meu armário porque acharam cupim e traça. Na hora de arrumar de volta rolou um desapego.... mais da metade das porcarias tipo revista velha, caderno, diário, etc, foi parar no lixo, e sem neuras. Só sobrou uma caixa pequena de souvenir de ex e outra de lembrancinhas de amigos. O difícil é começar, mas tenho certeza que depois vai te dar aquele alívio!!! Eu não acumulo mais porcaria na minha vida desde então! Recomendo!!! Beijos e boa sorte!

Lia disse...

Será? Será? Será? Souvenir de ex eu espero nem achar lá em casa (já detonei tudo quando assumi que o namoro virou casamento, hahaha), mas eu guardo bilhete de amiga da escola, diário, bicho de pelúcia (tudo engavetado, SABENDO que não vai servir pra nada... mas GUARDADO. sente o drama).

Lili disse...

Lia, quase todo mundo tem dificuldade de se desapegar das coisas. Eu ganho a vida com isso, pra vc ter uma idéia da dificuldade que as pessoas tem pra fazer isso sozinhas. Mas com as coisas dos outros é sempre mais fácil. Eu, durante algum tempo, me apeguei a recordações do passado também e te digo que o que me ajudou foram as 3 mudanças de apartamento que eu fiz em pouco mais de 1 ano. Algumas caixas nem foram desempacotadas depois da 1a mudança. Então um dia, já na última mudança, meu marido me perguntou o que tinha naquelas caixas que eu não planejava desempacotar. Respondi: diários de adolescente, cadernos, recordações. "Acho que vc nunca mais vai ler isso tudo de novo", falou e saiu. Joguei tudo fora. E não me arrependo. Certas coisas são importantes sim, mas hoje acho que a gente deve guardar só o que a gente poderia levar se mudasse para uma kitnet. O resto é entulho.

Bjo.

Lia disse...

:*

Essa vai ser a mais difícil, mas vai rolar. Tenho certeza.

elisacolepicolo disse...

Se estiver tudo junto, em uma caixa, jogue a caixa toda fora de uma vez só, sem nem abrir. Foi o que eu fiz.

Se vc não olhou até hoje, não vai fazer diferença. ;)

Anônimo disse...

Estou fazendo exatamente isso. Muita coisa, contas, material do tempo da escola, entre outras coisas, o ar está ficando cada vez.mais leve.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...