segunda-feira, maio 28, 2012

Quando a autoestima encontra a renda extra

Como alguns de vocês já sabem, iniciei uma espécie de “carreira paralela” de revendedora de uma marca de cosméticos. Assim mesmo, entre aspas, porque até o presente momento tenho gasto mais do que ganho nessa brincadeira. Mas, até mesmo para este projeto, vem sendo um excelente laboratório.


Pra começar, a marca é a Eudora, do Grupo Boticário, o que quer dizer ‘produtos de qualidade’ e ‘preços honestos’. Já havia experimentado e comprado alguns produtos na loja física, gostei, e quando descobri que poderia revender, pensei “ei, por que não?”.


Existe um investimento inicial para o kit de demonstração. Até aí, beleza - no mal, no mal, se eu não der certo como vendedora, já compensou com a bolsa incrível e os produtos que vêm no kit. Existe também um tempo máximo que você pode ficar sem fazer pedidos, pra não perder o cadastro. Então fiz uma espécie de cronograma com os aniversários da família, datas comemorativas, pra não perder os pedidos.


Aí começam as vendas. Ou melhor: começam as compras em benefício próprio. Que mulher resiste a um batom incrível, a um lápis que não escorre, a um perfume gostoso e com boa fixação? Ainda por cima, baratinho? EU não resisto, ainda mais que compro com desconto. Com isso, estou formando um verdadeiro arsenal para maquiagem para os shows. E aprendendo TRUQUES. Porque o que faço é uma espécie de consultoria prazamiga, né? A Fernanda e a Marina usam perfume mais fresco e mais ‘frutal’, a Aurora precisa usar sombras claras e esfumar o olho pra fora pra levantar o olhar, Marina terminou um namoro longo recentemente e vai cair na night de batonzão vermelho (“mas leva o baratinho que, se você não acostumar, pelo menos gastou pouco” - e não é que ela amou?), Cinthia combina com quase tudo, mas o namorado dela não gosta que ela use maquiagem...


Depois das vendas, vem o feedback. “Viciei no creme”. “Meu namorado amou o óleo de massagem”. “Amei o batom, já saí com ele no fim de semana, adorei e conheci um sujeito”...

...e assim a gente aprende que a indústria da beleza não é, ou pelo menos marketeiramente falando, não deveria ser apenas ‘indústria de cosméticos’. A indústria da beleza é 100% sobre autoestima. 


Se a moça vai ficar mais bonita... bem, você continua com a mesma cara, FATO. Mas uma maquiagem bem feita faz a moça se sentir mais bonita (e às vezes até melhora o aspecto mesmo... uma corzinha de saúde, por exemplo). Um perfume poderoso traz autoconfiança instantânea. Aqueles minutinhos preciosos que a gente usa pra encher o rosto e o corpo de cremes são uns carinhos que a gente faz na gente mesma, porque SE tratar bem é fundamental.

E quando você SE SENTE diferente, suas atitudes também mudam. Autoconfiança, sensação de poder, a sensação de que as pessoas estão olhando com outros olhos pra você. Isso faz MUITA diferença.


É mais ou menos assim que virei consultora de autoestima. E isso pra não falar da minha própria, que só aumenta - a cada vez que faço um olhão incrível pro show da banda, a cada vez que experimento um item, adoro, recomendo e vendo, a cada 50 pilas de comissão quando vendo dois perfumes em um pedido (e, sim, os perfumes são maravilhosos) e percebo o quanto encarar esse novo empreendimento tem sido interessante - e, eventualmente, até me rende uns trocados. Embora eu esteja comprando mais em benefício próprio do que vendendo.


Ainda assim, ajudar uma amiga a se sentir mais linda, mais confiante e mais poderosa não tem preço. E já posso dizer que ando expert nisso.

* * *

Só pra não perder o jabá, dá uma folheadinha no guia, dá. E se quiser demonstração dos perfumes, me fala. He, he, he.

sexta-feira, maio 25, 2012

As outras oito horas

Interessante. Estava lendo aqui sobre como 'mudar de vida' usando 'as outras 8 horas'. Basicamente, o que o sujeito prega é que todo o tempo em que você não está trabalhando a serviço de alguém, você pode usar em benefício próprio - fazendo trabalhos extras, transformando seu hobby em trabalho, investindo em ativos para melhorar sua vida, inventando algo útil (e pelo qual as pessoas vão pagar). A ideia é BEM interessante, mas vem cá: e se você NÃO tem oito outras horas?

Explico com uma matemática simples: 8 são dedicadas ao trabalho oficial. + 1 de almoço (okay, você pode CRIAR nessa hora de almoço). Pelo menos uma de deslocamento. Tomar banho, se arrumar, preparar café da manhã. Lavar a louça. Passar no banco. Passar no supermercado. Fazer a janta. Tomar outro banho. Ficar um pouco do lado da sua cara-metade. Vai vendo quantas horas se passaram aí...?

Fora as oito, no mínimo, necessárias para dormir com saúde. Na real, sobram umas 2, 3 horinhas, se você não faz nenhum curso, não está estudando nada (bem, estudar é, de alguma forma, uma espécie de subsídio para a  criação).

Mas, olha, posso te dizer? 2, 3 horas dedicadas aos seus projetos, dedicadas à sua realização pessoal, são melhores do que nada. Que sejam 2 horinhas escrevendo seu livro, fazendo o marketing do seu produto, fazendo sua autopromoção, que seja! 2 horinhas é melhor do que nada.

Então agora você vai entrar comigo no seguinte desafio: quanto tempo livre você tem por dia? De verdade? E não adianta dizer que não tem nenhum porque, se não tivesse, você já teria dado entrada num hospital por estresse: você tem, mas usa pra ficar no computador, pra ler blogs como esse aqui. Quanto tempo você PODERIA dedicar às suas paixões? E quanto tempo você REALMENTE dedica a elas?

Faz as contas e me conta. Tamo nessa juntos.

* * *
E hoje? Você agradeceu o que?

Eu agradeço pelo fato de ter uma família amorosa; um emprego que paga minhas contas; agradeço minha saúde; agradeço pela minha capacidade de fazer mais com o que tenho, de raciocinar, de saber o que é bom pra mim, de saber o que eu quero e de estar no caminho para chegar onde eu quero. Agradeço pelo amor que sinto. Agradeço todos os dias por trabalhar fazendo algo que amo, e por saber que estou no caminho certo para realizar alguns sonhos (como ter uma casa minha, poder constituir uma família e viajar para lugares interessantes) sem abrir mão da minha saúde e da minha felicidade.

Agora é a sua vez.

Beijos
Lia

segunda-feira, maio 21, 2012

Tudo dependee de como você vê...

"Às vezes, a situação só é um problema porque você a vê de uma determinada maneira. Veja de outro ângulo, e a o que você tem que fazer parece tão óbvio que o problema não existe mais". -- Edward de Bono

quinta-feira, maio 10, 2012

Mentalização e exercícios para passar o dia de mente relax



Vi lá no Personare. Vale a lida, e vale também tentar - não custa, né? A proposta da autora é "tente por um mês". Vai que.

http://www.personare.com.br/mentalizacao-produtiva-no-trabalho-m2350

Envolve tirar 15 minutinhos de manhã pra mentalizar o que você quer para o seu dia. Envolve respirar adequadamente e alongar por mais uns minutinhos aí. Curta seu corpo. Trate-o bem. Envolve se propor a pensar coisas boas e a focar no que realmente importa. E envolve fazer. Vai que dá certo. Eu nem diria 'apenas no trabalho', mas em tudo na vida, sabe?

Okay, vou tentar :-)

* * *

OBS: Nunca esqueço que Regina Restelli era atriz nos anos 80/90 e ficou um bom tempo em cartaz com um espetáculo de covers da Madonna. :-x

terça-feira, maio 08, 2012

Uma transformação impressionante

Arthur Boorman, veterano da guerra do Golfo, era considerado incapacitado há ANOS. De muletas e impedido até de fazer exercícios, além de não andar sem apoio extra, Boorman ainda estava obeso.

Até que descobriu a YOGA.

Calma lá, peraê. Não é qualquer yoga. É um método desenvolvido por um wrestler profissional. Com dvds. Típico, mas como o método não promete milagre - e sim apenas melhorar a flexibilidade e a capacidade de alongamento, fortalecendo as juntas (a perda de peso é um efeito colateral dos exercícios e, muito provavelmente, do modo FOCO que você entra quando entra nessa onda de yoga e exercícios) - as coisas ficam mais críveis, não?

E o cara acreditou. Arthur Boorman sabia que era possível. E não desistiu. E não apenas voltou a andar, como...

...ah, assista logo:


http://youtu.be/qX9FSZJu448

* * *

Quanto a mim, não faço questão de perder mais que três kg. Aliás, se fizesse questão mesmo, já teria perdido (3kg não são NADA). Tonificar a musculatura, melhorar a respiração, isso tudo me interessa - se ESSE cara conseguiu, o que eu, que quero algo muito mais simples, não poderia conseguir, hein?

Me falta disciplina. Como conseguir?

Já tenho minha rotina de gratidão diária. Já tenho minha metodologia de foco no trabalho. Falta MELHORAR isso aí, pois nem sempre essa metodologia funciona, eu disperso, desfoco e perco um tempo precioso fazendo coisas que não são fundamentais - são importantes, mas talvez não sejam prioridade.

Tem que ver isso aí.

E você? Tem disciplina? Não? E aí? Convive com a falta dela ou cria métodos pra melhorar?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...