sexta-feira, maio 31, 2013

Cantinho do leitor - a Val também precisa de foco


Eis que me deparei com o comentário fofo da Val, do blog Ateliê por um fio, onde ela mostra as coisas lindas que faz em casa pra dar um 'up' nos móveis, resenhas de livros, acessórios de moda graciosos feitos por ela mesma... adorei, Val! Vamos ao comentário?

"Adorei o texto, é o que eu preciso FOCO, mas preciso de foco nos negocios, na dieta, no casamento, na organização...ou seja, necessito de foco em tudo e ta dificil... estou tentandobj" 

Olha, Val, esse problema em estabelecer prioridades eu meio que resolvi. Digo "meio que", porque sempre fui dessas que, pro bem ou pro mal, “têm talento pra fazer o que quiser da vida” e “tiveram total apoio em casa pra ser feliz na vida”. Por sorte, todas as minhas áreas de interesse e aptidão têm algo em comum, e ao invés da tríade ‘preciso escolher entre engenharia, comunicação e medicina’, atuei a vida toda em artes, comunicação, cultura, educação e tecnologia, áreas que têm TUDO a ver umas com as outras, em pares, trios e combinadas ao mesmo tempo. Mas se fui abençoada por uma inteligência acima da média em idade escolar, ao mesmo tempo, nunca APRENDI a sentar a bunda pra estudar. Se fui abençoada por ter pais compreensivos e apoiadores, sempre tive muitas opções, e todas BOAS, dentro das áreas de atuação que eu bem entendesse. Quer dizer: não precisar FOCAR em algo foi uma constante na minha vida inteira, então até hoje peno pra conseguir fazer isso. Consegui resolver o meu problema de foco em TAREFAS, que era uma urgência (senão não conseguiria dar conta de tudo o que queria ou precisava fazer), adotando a metodologia da listinha de prioridades. Consegui resolver o que queria mesmo da vida - e hoje já tenho pistas importantíssimas de como consegui-las. Mas digo “meio que”, porque essa falta de foco foi uma constante na minha vida INTEIRA, então eventualmente eu DISPERSO. E preciso lembrar sempre qual é meu objetivo na vida (ou pelo menos uns três ou quatro objetivos).

Vejo que não é o seu caso (sorte a sua!) e que você já sabe o que é trabalho, o que você quer da vida... saber onde se quer chegar é o primeiro passo!

O segundo passo é mesmo fazer umas listinhas pra se organizar visualmente. Sério. Funciona pra todo mundo.

Foco em tudo não existe. Aprendi a duras penas. Foco é numa coisa só, ou em poucas. Resolvendo uma, você fica livre pra resolver outra. Umas são prioridade. Outras não. Outras são, mas se você não resolver ali, você bagunça aqui. É equilibrar pratinhos mesmo. Então vamos à lista:

Você menciona negócios, dieta, casamento, organização. Vamos lá. Sem a organização, seu negócio não anda. Sem organização, fica difícil gerenciar o negócio, o casamento, e o tempo pra organizar o cardápio em casa e poder levar a dieta a sério. Então vamos resolver a organização, certo?

Listas. Listas. Listas. Adquira o hábito de deixar pronta, de véspera, a listinha com coisas a fazer no dia seguinte. Em papel, pra você RISCAR. Sério. Compre um caderno, um bloco, anote tudo o que você tem para fazer. O que entrou depois vai pro final da lista. A prioridade é matar ESSA lista. Se o que entrou depois for REALMENTE prioritário, resolva LOGO. Não pare enquanto não riscar TUDO. Quer dizer, pare pra comer ou pra fazer coisas BÁSICAS. A sensação de ver itens sendo riscados é muito boa.

Talvez você esqueça de criar a lista. Lembre-se de fazê-la. Adicione lembretes no Gmail, no Outlook. Lembre-se de que em pouco tempo, você terá um novo hábito formado.

Agora temos negócios, casamento e dieta. Você vai virar uma workaholic, dependente de listas. Estabeleça-se limites, pra não ferrar nem com o casamento, nem com a dieta. Risque tudo, mas pare às 18h. Risque tudo, saia feito um trator, mas permita-se ter os fins de semana livres. Se seu trabalho se mistura com sua vida pessoal, estabeleça horários e metas de horas trabalhadas em casa pra passar com a família. Agora, além do foco na organização (que vai melhorar os negócios em 1000%!), você vai ter que dar um passo além: vai aprender trabalhar dentro de um horário restrito. O que quer dizer ‘saber dizer não pra um cliente que não compensa’, ‘saber delegar tarefas que só vão ocupar seu tempo’.

Com isso, casamento e dieta estão resolvidos também. Mas veja bem: uma pessoa que não come NADA pode virar uma chata, ter problemas de estômago e bafo ruim - o que estraga qualquer casamento. Então que tal estabelecer uma meta pequena pra dieta, tipo ‘menos 3kg, e me manter assim por seis meses’? Sem radicalizar. Aposto que você consegue. Como não sou nutricionista, esse é o máximo de conselho que me permito dar. :) Se precisar de uma ajuda, esse livro aqui é ótimo - comprei a versão digital e não me arrependo: chama-se ‘5 ingredientes, 10 minutos’, e é uma mão na roda pra pessoa sem tempo, que quer comer algo saudável e gostoso.

E aposto que vai ajudar na dieta.

Com isso, acho que o casamento também fica sussa.

Qualquer coisa, vem aqui e me conta. E se conseguir algum progresso, me avisa, porque também estou tentando dar um UP nos negócios.

Beijos!

quarta-feira, maio 29, 2013

Prosperidade Vigorosa - e mais foco, mais foco

Então outro dia vi um comentário aqui no blog de um sujeito chamado Cheferson Amaro, do blog Felicidade Geral. Resolvi fuçar mais. O Cheferson e a Lu, sua esposa, mantêm o site com artigos periódicos sobre autoajuda, motivação pessoal, prosperidade e todas essas coisas que ando lendo ultimamente. Provavelmente eles tiram uma grana dos sistemas de afiliados - um de semi-joias folheadas e outro de vendas de e-books não produzidos por eles mesmos, mas 'franqueados'. Não dá pra dizer que é fácil, porque nesses sistemas de afiliados, você não escreve o livro, não fabrica o produto, mas precisa atrair tráfego pra vitrine (seu site) onde o produto está. E pode fazer isso pagando (dependendo da comissão, pode valer a pena dar uns reais pro Google, a título de 'mais links, mais seguidores, mais visitas, seu site vai crescer organicamente em algum momento), trabalhando seu marketing de conteúdo (ou seja, escrevendo artigos pra atrair gente que, interessada por aquilo, pode se interessar pelo produto que você vende) e trabalhando marketing de relacionamento, que foi exatamente o que ele fez aqui no blog - comentando em sites e blogs, mas não apenas: o marketing de relacionamento é, como disse, relacionamento. É investir um tempinho pra ler e fazer um comentário relevante, sem necessariamente ficar fazendo propaganda. Isso te garanto que o cara fez direitinho, porque fui parar no site dele, toda curiosa.

Já estava num movimento de criar redes mesmo, porque curto demais esse projeto aqui, e percebi que não conheço os outros AGENTES do mercado. Outro dia fui procurada pra uma pauta do O Globo e fiquei pensando que legal seria se a galera da autoajuda resolvesse se reunir pra discutir o mercado. Porque é um BAITA mercado, especialmente pra quem faz, pra quem vende - mais até do que pra quem consome (sim, comecei esse projeto achando isso e continuo achando isso). Vi o Blog Felicidade Geral, fucei, cheguei no negócio de folheados, entrei em contato.

Cheferson, isso aí que você vende FUNCIONA? Funciona pra você? Porque eu tento tudo e... até rola. Mas não com essa prosperidade vigorosa aí.

(talvez. talvez essa prosperidade toda já esteja na minha vida, sim, porque ganho direito, trabalho com algo que amo, coloco um vídeo meu cantando no youtube e as pessoas até elogiam, tenho onde morar - e bem -, e acho que morar bem pode querer dizer 'morar em qualquer lugar, desde que você se sinta em casa', sou adaptável, sou criativa, etc etc etc, então já começo com larga vantagem sobre muita gente)

* * *
Não vou entrar em detalhes sobre a resposta, mas, sim, funciona. Também não entrei em detalhes sobre faturamento (especialmente quando a pessoa vende um produto que promete deixar você milionário, é bom que você mesmo seja, certo?). Mas vou entrar num detalhe importante aqui:

"Lia,
Vou te falar duas coisas.
A primeira é que recomendo escolher um livro e se focar
nele por pelo menos 1 ano. Ler uma vez ao mês, e procurar
praticar as técnicas principais ensinadas. Quando você pratica
os resultados aparecem. A questão é disciplina e constância.
Quando eu iniciava uma prática antigamente logo parava.
Com o tempo passei a melhorar muito minha disciplina, se
necessário, recomeçava alguma prática ou estratégia."

(TAPA NA CARA DA SOCIEDADE!)

Não preciso contar a segunda. Vamos nos ater a essa: o cara mal me conhece e sabe que tenho problemas DE FOCO.

Olha, demorou, mas já consegui resolver o problema de foco que me atravancava a vida, que era aquele foco em tarefas. Adotei metodologias para ser mais produtiva (e, assim, aumentar minhas horas livres) e tem funcionado.

Agora, preciso de um foco no meu NEGÓCIO. Veja bem: fiz (e tornei pública) a minha listinha de 'o que já consegui na minha vida desde que comecei esse projeto'. A cada item riscado, um item de 'upgrade'. Detalhes, como valores ou quais são especificamente esses problemas pessoais, são meus e só meus - mas o que importa é que eu sei.

E o conselho do Cheferson?

Vou só dar uma adaptada: no momento, vou seguir DOIS livros e um cursinho, tá? Ó, já é um upgrade. E a ideia, aqui, é

- Focus, do Leo Babauta. Resolvi pegar a versão free mesmo, pra poder andar com ela em pdf no celular, onde for. Vai me ajudar muito a criar o meu PRODUTO.
- Resolvi ir na fonte da autoajuda moderna, no avô de 'O Segredo', e comecei a ler (e já avancei um bocado) 'Quem pensa enriquece', do Napoleon Hill. Decidi fazer um CADERNO de autoajuda - sim, porque sempre tem umas listas pra fazer, umas coisas pra escrever e ver depois, umas metodologias a seguir.
- E entrei no projeto 'De zero a 100 mil em um ano', da Paula Abreu. E o projeto da Paula - e a conversa que tive com ela - merecem um post à parte. Ainda essa semana. E é grande.

E vocês?

Precisam resolver alguma coisa em suas vidas?

Qual é o método de vocês pra dar um basta na procrastinação? E no foco, no sentido de definir "o que quero da vida, do universo e de tudo o mais?". Precisou de análise ou autoajuda tá dando conta?


sábado, maio 25, 2013

Psicologia infantil / Uma coisa de cada vez

Quando eu tinha uns cinco anos de idade, mais ou menos, minha mãe me levou numa psicóloga pela primeira vez. Sabe como é: pais recém-separados, mudança de escola, dentes de leite caindo, vai que tinha algum problema, né?

"O problema dessa menina", disse a doutora, "é que você dá muitas opções pra ela!".

Mamãe sempre foi pró-diálogo. Pra não ser uma mãe autoritária, ela sempre me deixou ESCOLHER. O que, pra mim, sempre foi ótimo, mas será que um pouquinho de firmeza não teria sido mais saudável? A máxima "criança não tem que querer" não existe à toa, certo?

Eu já contei isso aqui: ninguém nunca disse que eu não podia, mas ninguém nunca disse que seria fácil ou me deu de bandeja - sempre tive que pesquisar, me dedicar e bancar minhas escolhas. Mas, por outro lado, minha vida sempre teve otimismo demais - eu podia tudo, sempre tive múltiplos talentos, podia escolher desde que acreditasse, porque tudo daria certo.

Ai, gente...

São tantas opções, tantas coisas pra fazer ao mesmo tempo... e eu tou pagando a conta desse potencial de sucesso todo, sabe? Porque... bem, sabe PATO, que canta, nada, anda, voa, mas a real é que não faz nada direito?

Como lidar? Como focar? 

A resposta está num disco que amo, duns caras que adoro. Com a palavra, Titãs:


Como escolher UM projeto paralelo por vez?

domingo, maio 12, 2013

Projeto AutoAjuda versão 2.0, e a questão do foco

Vocês devem ter notado que ando ausente daqui - quer dizer, se é que alguém notou alguma coisa, já que quando a gente para de atualizar nossos canais, as pessoas também vão se ausentando. Tou por aqui, sim. E pensando um bocado sobre esse projeto.

* * *

De início, minha ideia era tentar descobrir se a autoajuda funcionava. Pra quem? Como assim? Força do pensamento faz alguma coisa? É místico e esotérico? É o universo se movendo? Ou a 'força criadora da nossa realidade' tem mais a ver com nossa própria vontade de realizar coisas, mudar aspectos da nossa vida, e nossa dedicação pra que nossos sonhos se realizem? Aposto nessa segunda hipótese, mas não descarto a primeira. VAI QUE, né? Quem sabe o universo conspirando a nosso favor não é tão somente as pessoas reagindo à nossa atitude positiva? Hein? Quem sabe?

* * *

Desde que comecei o ProjetoAutoajuda, algumas coisas mudaram. Sabe o upgrade de salário que eu queria? Consegui. Sabe os 4 quilinhos que me incomodavam um pouco? Perdi. Sabe o hábito de fazer uma atividade física regular? Consegui. Sabe a tristeza profunda e vontade de jogar tudo pro alto por causa de transtorno de personalidade alheio? Estudei, entendi e contornei. E ainda tem gente me chamando de diva porque canto numa banda de jazz e, modéstia à parte, sei parecer muito elegante. Por tudo isso, agradeço!!! Nossa! E como! Mas e agora? Pra que autoajuda?

* * *

Porque esse universo é fascinante. Porque eu consegui tudo o que eu queria, então porque não querer mais? Por que não continuar pesquisando, estudando, e estabelecendo novas metas e patamares de qualidade de vida? Porque não ir além e falar com quem faz, com quem estuda, com quem se auto-ajudou, com quem também se dedica a motivar pessoas a correr atrás de seus sonhos?

Essa é uma nova fase deste site. Até agora, eu tava só sondando. Agora é hora de fazer algo com todo esse material, todos esses livros e todas essas newsletters, com todo esse conhecimento acumulado. Então vamos lá: vou fazer uma nova listinha com o que eu quero pro próximo período.

* * *

O Cheferson e com a Paula, pessoas incríveis que estão aí MOTIVANDO gente de maneiras muito distintas, mas com pontos em comum, foram extremamente perspicazes e direto ao ponto. Vou falar um pouco mais sobre esse assunto e sobre os trabalhos dos dois, mas basicamente, preciso voltar à lição 1: lá atrás, no dia 27, bati na tecla do FOCO. O foco voltado para a produtividade é mais uma das minhas conquistas dos últimos tempos, mas AINDA é uma questão a ser resolvida.

Bem, o foco agora é resolver meu problema de foco.

Você também tem problema de foco?

Então vem comigo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...