sexta-feira, agosto 31, 2012

Diário de gratidão - dia #04

Obrigada, sol, por existir!!!

:)

É. Não fosse o sol, acho que não haveria vida na Terra, ou pelo menos não como a conhecemos. Meio óbvio, né? Então deixa eu mudar um pouco essa de hoje:

Obrigada, sol, por dar o ar da sua graça numa manhã de temperatura amena, me esquentar por uns minutinhos e, assim, dar o gás que preciso para começar a jornada de hoje.

Tá melhor assim? ;)

quinta-feira, agosto 30, 2012

Diário de gratidão - dia #03

Hoje... hoje eu agradeço por existir música no mundo.

E, com a música, veio a dança. E sem a dança, eu não sei o que eu seria. Me encontrei nela. Curo meus problemas nela. Posso não ser muito assídua, mas ela está sempre lá quando preciso. Dança é amor, é expressão, é saúde, é ritmo. Um pouco de música + dança pra vocês:


http://youtu.be/-jf_AIasUuc

quarta-feira, agosto 29, 2012

Diário de gratidão - dia #02

Projeto é projeto, né? Tem que fazer. Pelo menos um mês.

Hoje eu agradeço por não precisar de aditivos pra ser feliz.

Também agradeço por ter chegado a um estado real de independência.

Existe uma grande diferença entre beber, fumar, comer (sim, comer pode ser uma compulsão e um vício) etc para celebrar, pra comemorar algo realmente extraordinário, e beber, fumar, comer, etc pra criar coragem, pra esquecer problemas, pra descontar qualquer coisa que esteja errada na sua vida.

Olha, minha vida não tá errada, não. Ela tá é bem certa. O pouco que tem que tá fora do lugar eu tou ou botando no lugar ou varrendo pra fora de vez.

E eu não sou dependente de nada, seja legal ou ilegal, e muito menos dependente de alguém. Aliás, agradeço imensamente por isso.

terça-feira, agosto 28, 2012

Diário de gratidão - dia #01

Vários projetos de autoajuda tem essa história do 'gratitude journal', ou, em bom português, um diário de gratidão. Funciona mais ou menos assim: todo dia você posta algo pelo qual você seja agradecido. Não vale repetir. Não vale pular dia, mesmo quando tudo parece errado - na pior das hipóteses, agradeça a existência do chocolate no mundo. Aposto que muitos assassinatos já foram evitados por conta da iguaria.

Vamos lá. Já controlei minhas finanças diariamente por dois meses - relaxei, verdade, mas pelo menos agora sei no que meu salário escoava, e aprendi a dizer não para excessos. Já lembro todos os dias de passar fio dental. Beber litros de água já virou hábito, assim como o creme para a região dos olhos e checar três contas de e-mail diariamente, duas delas de trabalho.

Assim, vamos lá. Conseguirei a proeza de passar um mês agradecendo. Se, por algum motivo, eu não tiver acesso à internet, anoto e posto dois na sequência. Mas a meta é 30 dias, 30 agradecimentos - talvez mais. Isso ajuda a ver as coisas de forma positiva. Isso ajuda a entender que a vida é boa e que você sempre tem motivos para agradecer, seja pelo sol gostoso num dia de frio, seja pela existência do chocolate.

Hoje estou especialmente feliz com várias coisas, então... começarei com mais de um agradecimento.

Agradeço...

...pela minha família amorosa e apoiadora.
...pelo meu emprego, pois trabalho fazendo algo que gosto e com um salário digno.
...por morar decentemente.
...por ter um companheiro que tem lá seus defeitos, mas me ama, me faz carinho e cozinha muito bem.
...por ter capacidade mental para ler, estudar e aprender coisas novas.
...pela minha saúde que, até onde sei, está 100%.

E agradeço, também, a existência da internet.

E você? Agradece o que?

sábado, agosto 11, 2012

Como fazer amigos e influenciar pessoas


Ok, vamos começar com uma ressalva: "fazer amigos" foi uma liberdade poética desse post. Não acho que haja uma fórmula pra isso e, a bem da verdade, cada vez que vejo alguém se esforçando pra ficar amigo de outrem, acho mesmo que não é bem assim que funciona. Um amigo pode estar no ambiente de trabalho (eu sempre entro com a máxima "não vim aqui pra fazer amigos, vim pra trabalhar" e saio abraçando todo mundo!), pode estar no grupo de dança, pode estar nos lugares mais improváveis.

Todo mundo fala em autenticidade. "Seja você mesmo!", "seja fiel aos seus princípios", e é certo que amigo de verdade vai gostar de você pelo que você é, e não pelo que você tenta ser (aliás, pode ser a mais fofa das criaturas que, quando começa a tentar demais, já começo a criar umas restrições). Mas aqui eu tou usando aspas em "amigos", veja bem. Não tou falando de virar BFF. Tou falando de construir relações de respeito e admiração em grupos sociais, de trabalho, de crescer, de ser respeitado. E existem vários momentos nas nossas vidas em que precisamos mesmo deixar nossas convicções de lado. Mentir não é necessário. Mas às vezes segurar a onda antes de dar certas opiniões ou de agir de acordo com nossos princípios pode ser bom.

Bonzinho só se f***

Há que se ter certo traquejo político pra lidar com certos grupos de pessoas, em certos locais. E, claro, todo mundo percebe quando você está sendo falso. Mas você não precisa ser falso na cordialidade com alguém de quem você não gosta muito (também não precisa chamar de melhor amigo!), não precisa estar em todas só pelo networking (mas, sim, saber quando o networking é realmente válido e ESTAR LÁ), não precisa ser escroto com as pessoas (mas, sim, é preciso saber dizer não, ou você vai ser sempre o pulha que faz tudo pra todo mundo sem fazer questão de ser reconhecido).

Você precisa entender que, às vezes, tem que usar uma máscara social, sim, se quiser que te respeitem. Que você precisa entregar para as pessoas o que elas querem (depois, quando for rico e bem sucedido, pense no trabalho autoral contra tudo e todos, pense em subverter todas as regras - mas agora, enquanto você está lendo blogs de autoajuda, lembre que o valor do que você faz é construído pela demanda de mercado - se é isso o que querem, é isso que você faz). E que omitir certas opiniões não deve, de jeito nenhum, ser confundido com "não se expressar", "não reivindicar seus direitos" ou "não apontar problemas na organização". Sim, você PRECISA fazer tudo isso. Mas deve saber bem quando, como e pra quem, sabe?

Dá pra ser legal com todo mundo e, ainda assim, ser você mesmo. Dá pra ser você mesmo e, ainda assim, influenciar pessoas. Tenta aí e me conta.


quarta-feira, agosto 01, 2012

Friozinho na barriga

A vida sem friozinho na barriga não tem muita graça.

Há cerca de 3 anos atrás, senti o friozinho na barriga de um novo amor nascendo *e* de um novo trabalho, tudo no mesmo dia. O amor continua, mas o friozinho na barriga... esse permanece. Porque a paixão se renova a cada carinho, a cada gesto amoroso dele. O trabalho também tem seus momentos de friozinho na barriga: a cada novo projeto, a cada apresentação, a cada lançamento. E, agora, um friozinho na barriga MASTER de mudança de emprego - um novo desafio e, ao mesmo tempo, o friozinho na barriga de saber que isso não apenas quer dizer crescimento, como reconhecimento e consolidação de algo no qual estou trabalhando há tempos. Tem o friozinho na barriga do primeiro palco e também da primeira vez que segurei o show inteiro cantando sozinha. Tem o friozinho na barriga da primeira aula, da apresentação da pós, do primeiro bambolê em público e também o friozinho na barriga da entrega do trabalho de conclusão de curso. Friozinho na barriga das provas, dos novos projetos, dos antigos projetos dando certo, da paixão também pelo que faço, e isso é muito importante.


E quando penso nisso, dá até um friozinho na barriga.

* * *

O friozinho na barriga, também conhecido como borboletas no estômago, normalmente acompanhado de uma taquicardiazinha de leve, também quer dizer ansiedade. E ansiedade quer dizer gastrite, porque quer dizer realmente o estômago sendo corroído de nervoso. Sim, você pode pensar que é a coisa mais romântica do mundo. E muitas vezes é. No meu caso, aposto (e minha gastro, e meu terapeuta, e todo mundo que me conhece também) que preciso mesmo é de um ansiolítico. Não que coisas lindas e novos desafios e paixões não aconteçam com frequência. Acontecem. Mas todas essas coisas incríveis não precisam corroer meu estômago...

* * *
  • Exercícios físicos regulares ajudam.
  • Yoga ou pilates, por focarem na respiração, ajudam.
  • Menos cafeína pra estragar menos o estômago, isso ajuda.
  • Aqueles calmantes fitoterápicos, tipo Calmapax, Passiflorine e Serenus, funcionam que é uma beleza, se sua ansiedade não chega a ser um transtorno (apenas uma sensação romântica).

E sobre os novos projetos, paixões, empregos novos, novos desafios, vai dar tudo certo e eu e você estamos de parabéns. Agradeceu hoje por ter uma vida apaixonante e um trabalho que você ama? Eu agradeci. Agora vai cuidar dessa ansiedade, vai, que eu vou tentar ao máximo cuidar da minha...

(passa essa caixa de Serenus pra cá...)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...