quinta-feira, agosto 04, 2011

Tentar ir à igreja também é autoajuda

Eis que fui parar num culto de JohRei hoje cedo. Arrastei marido, a missionária disse que só levava 5 minutinhos, fomos lá. Já tinha ido num Johrei Center pra tomar uns passes, mas foi a primeira vez que fui a um culto. Minhas impressões?

Bem, é uma IGREJA Messiânica, né? O nome é assustador, mas o local é simples, senhorinhas felizes, longevas e tranquilas, um altar sem muitos fru-frus, não tem ninguém pegando na sua cabeça e mandando sair o demônio, não tem imagens de pessoas crucificadas, não tem ninguém entrando em transe vestido de exu, nada disso: lá, reina o silêncio, a voz baixa, a musiquinha calma e um telão com fotos de pinguins fofos e mensagens que poderiam ser chamadas de 'mensagens de autoajuda', não fossem também mensagens de ajuda para o mundo. E ninguém chama de religião, e sim de filosofia. Pode não fazer a menor diferença na prática, mas você que é cético encara a coisa de maneira diferente.

Um lado meu não consegue entrar no clima da oração, especialmente a oração em japonês, uma vez que nunca me identifiquei com gente que segue doutrinas que não entende - basicamente, o missionário pode dizer as coisas mais lindas, mensagens de purificação mesmo, acredito mesmo que seja com a melhor das intenções, mas se não sei o que é, fica difícil entrar na onda. Já o outro lado gosta do clima de pessoas dando bom dia assim, de graça e sinceramente; gosta da ideia de reservar uns minutinhos para meditação; Na entrada, eles dão um folder que mostra os benefícios científicos do Johrei - uma análise de ondas cerebrais antes e depois de uma sessão. É aquilo né? Todas as religiões e estados meditativos alteram as ondas cerebrais de alguma forma, o que quer dizer que não é mérito só da Messiânica... mas o culto é rápido, é silencioso, o altar é discreto, mal não faz. Marido também aprovou. Acho que vamos virar frequentadores mais ou menos assíduos (só precisamos acordar um pouco mais cedo de vez em quando).

Será que vamos ficar mais calmos? Mais zen? Será que marido vai alcançar a paz que tanto lhe falta? Será que me transformarei numa pessoa mais tolerante? A saber.

E você? Vai a algum tipo de culto? Medita? Frequenta alguma igreja ou algo do gênero? AJUDA? Conta aê.

3 comentários:

Joice disse...

Oi.
Achei esse post pesquisando sobre johrei no twitter.
Minha experiência na messiânica começou mais ou menos como a sua.
O que posso te dizer é que é um lugar maravilhoso, mas isso você só vai aprender com a sua própria experiência.
Sugiro que frequente essa ou qualquer outra igreja no seu ritmo.
Se você aceitar um convite (ou desafio) experimente receber johrei todos os dias durante 30 dias seguidos. Se não tiver vontade, não precisa ir ao culto, mas não deixe de receber o johrei. Informe-se sobre os horários de funcionamento da igreja e se não puder comparecer, peça assistência religiosa na sua casa - só para receber johrei.
Depois de 30 dias, avalie sua vida e seu estado de espírito. ;-)
Felicidades,
Joice

Lia disse...

Oi, Joice, obrigada!

Confesso que é um pouco difícil ir ao Johrei por 30 dias seguidos, já que a messiânica lá perto de casa só abre às 9h e às vezes estou correndo para o trabalho, ou tenho aula cedo, ou dormi até o último minuto e...

Mas estou tentando. Minha ideia é ir lá pelo menos duas vezes na semana... acho que já faz uma diferença! Obrigada por dividir sua experiência aqui!

Beijos!

Ale Picoli disse...

Quando a Chanti ficou doente, comecei a fazer reiki nela. Se resolveu ou ajudou a resolver o problema dela, não sei (ela vai ficar boa, a pedra da bexiga saiu e o rim está se recuperando! Ganhamos na loteria dos gatinhos, praticamente). Mas me ajudou a não pirar, já que precisa de uns minutos de meditação/concentração antes de começar a aplicação. Pra contextualizar: sou atéia, cética e me divirto praticando heresias na intimidade :) Mas tive muito contato com coisas "nova era" a vida inteira, minha mãe é muito ligada a esses assuntos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...